Ferramentas
Registre-se Login

MTI do Brasil

Sexta, 24 Mai 2019
Mostrar items por tag: crescimento no brasil

As assinaturas de banda larga no Brasil cresceram quase 100% em 2011, fechando o ano com 41 milhões de usuários. "Embora menor que o percentual de 2010, que foi de 138%, esse número continua sendo bastante expressivo e retrata o forte potencial de consumo população, inclusive da chamada nova classe média", comenta Erasmo Rojas, diretor da 4G Americas para America Latina e Caribe.

Apesar de um constante crescimento, o uso real de dados  ainda é pequeno. Enquanto em países como Argentina os usuários consomem cerca de 48% de seus pacotes (dados + voz) em banda larga móvel, no Brasil o percentual é de apenas 22%, 1 ponto percentual menor que a média da região. Em receita, isso significa 3,08 dólares dos 14 dólares, que é a média mensal da América Latina de gasto com celular.

"A entrada de novos handsets, como tablets e smartphones, pode ajudar nesse crescimento", destaca o executivo, que aponta a diminuição do uso dos modens externos como indicio desse movimento. Em 2010, o número de acessos à banda larga móvel por modens e celulares era quase a mesma. Hoje, apenas 19% da conexão móvel é feita por modens. A grande maioria, 81%, é realizada por celulares.

Os leilões de novas frequências também devem impulsionar esse crescimento, já que as operadoras poderão oferecer serviços com mais qualidade. A penetração de banda larga móvel na América Latina é de 12%, e a estimativa da 4G Américas é de que em 2015 atinja 57%, ultrapassando voz, que é ainda a principal fonte de receita das operadoras hoje.

Globalmente, a demanda de celulares com acesso a banda larga móvel cresce 75% ao ano, porém, metade desse recurso é consumido por apenas 1% dos usuários, enquanto 3% dos usuários de peso (heavy users) são responsáveis por 70% do trafego.

"As operadoras têm o desafio de encontrar um caminho para dosar uso e receita, pois as redes não são capazes de suportar hoje uma fatia grande de usuários de peso. Como a nova geração já nasce conectada, esse tipo de usuário deve crescer muito", completa Rojas.

 

fonte Olhar Digital